Arquivo da tag: o estranho caso do inditoso francisco sotero

Sim, eu compro livros pela capa

PREFÁCIO

Desconhecido, como se fosse um dos seus próprios personagens, Lucas Baldez voltou ao Beco das Minas para reviver as histórias de Fofi, Sabiá, e Mário Jumenta. Chegou a jogar no Graça Aranha Esporte Clube, mas somente depois de pendurar as chuteiras descobriu a sua nova vocação: a literatura. E depois de ganhar o Prêmio Graça Aranha, no Concuro Literário Cidade de São Luís, em 1980 com o conto “O Torcedor”, resolveu juntar seus contos, novos e velhos, e publicar este volume. O seu maior mérito, entretanto, foi ter penetrado no perigoso caminho da literatura com a disposição de quem já sabia pisar os espinhos da Fonte do Bispo, da Quinta do Barão, e do Apicum (onde já pernoitava o velho Erasmo Dias), mas, na verdade apenas começou a vislumbrar a sua trajetória.

Dostoiévski nos diz que “as pessoas vulgares são, em todos os momentos, a chave e o ponto essencial na corrente de assuntos humanos”, e assim são os personagens de Lucas Baldez. Note-se que aqui a palavra “vulgar” não é um termo pejorativo, pois serve para designar o homem comum, o homem simples e anônimo. E é utilizando a linguagem popular que Lucas Baldez consegue driblar as regras da Gramática em favor de uma melhor comunicação com o leitor. Por este motivo, “A Outra Face da Ilha” torna-se um livro agradável, e mais facilmente coloca em questão a problemática social do nosso povo, valorizando cada personagem em seu próprio tempo e espaço. Personagens que lutam para sobreviver nesta ilha universal onde os ditadores bebem o sangue de suas vítimas.

Cesar Teixeira

*

Cesar Teixeira escreveu o prefácio de A outra face da ilha (1981) e fez sua capa e ilustrações, bem como a capa de O estranho caso do inditoso Francisco Sotero (1989), do mesmo autor, imagens que abrem-ilustram este post. Os livros, que ainda não li, encontrei-os ontem, à cata de outros, no sebo Papiros do Egito (Rua Sete de Setembro, 150, Centro, (98) 3231-0910).