Arquivo da tag: jorge helder

A nova bossa nova de Alvaro Gribel

 

Capixaba radicado em São Paulo, Alvaro Gribel escolheu uma paisagem do Rio – onde viveu – para compor e batizar seu segundo disco: São Francisco é um bairro niteroiense banhado pelas águas da Guanabara.

Gribel (voz e violão) cerca-se dos veteranos Jurim Moreira (bateria), Jorge Helder (contrabaixo acústico) e Rodrigo Campello (guitarra, programações, cavaquinho e violões de seis e sete cordas) em um disco de sonoridade sofisticada. O último assina a produção do álbum, coproduzido por Eber Pinheiro.

A voz de Gribel, que assina as nove faixas de São Francisco, evoca o Caetano bossa novista. Entre os temas que permeiam o disco estão o amor e a contemplação. As duas últimas faixas, a que batiza o disco e Camburi, homenageiam respectivamente as paisagens do citado bairro em que São Francisco foi composto e a praia em que o menino Alvaro foi criado.

Àqueles temas somam-se inquietações com questões sociais. Santos e orixás, a primeira faixa, narra o cotidiano de favelas, ansiando por paz: “mas um dia hei de ouvir calar/ os seus fuzis a batucar”, termina. Oração alude ao Morro do Bumba, em Niterói, com a tragédia causada pelas chuvas em 2010. “Porque somos poucos meu Senhor/ e já perdemos muito nesta vida/ Tristeza vem do céu do morro/ a chuva traz/ Deus,/ tanta dor fez a cidade amanhecer só/ tanta terra despencou da ribanceira, sem dó/ vê quanta aflição/ tem pena/ não deixe ser em vão”, diz a letra.

O destaque do disco é a alegre Marcha da autopeça, cuja letra nasceu de um orçamento da revisão do carro do artista. Diz um trecho: “Radiador/ correia de polivalente/ cano de carburador/ coifa, coxim, batente/ par de amortecedor/ ponteira de direção/ jogo de vela, filtro de ar/ quanta peça a pressa leva”.

Brasil-Polônia, uma ponte pavimentada de alegria musical

Barbosa Trio surgiu após turnê do músico paranaense Wagner Barbosa pela Polônia, acompanhado do cearense Rafael Mota Rodrigues e do polonês Kuba Palys. Sonoridade de Alegria, disco de estreia do grupo, tem vários sotaques

POR ZEMA RIBEIRO
ESPECIAL PARA O ESTADO DO MARANHÃO

O Barbosa Trio não carece de muito tempo para fazer jus ao título de seu disco de estreia: Alegria [2013]. Se você tomar como marco zero a audição da bolachinha em si, disponível para download grátis no site do bandleader Wagner Barbosa, bastam os segundos iniciais de Pererê (parceria dele com Demetrius Lulo), faixa de abertura. Mas antes, ver a capa, em que ele e Rafael Mota Rodrigues e Kuba Palys aparecem em tons circenses, fellinianos, já garante alguma… alegria.

O paranaense Wagner Barbosa já tinha um disco, mas este Alegria foi concebido após uma turnê do trio pela Polônia, terra natal de Palys – Rodrigues é cearense. A ponte Brasil-Polônia garante ao disco vários sotaques – ou deveríamos dizer sorrisos? – incluindo o nordestino, o jeito “leste europeu” de tocar piano do titular do instrumento, o jazz, a bossa, a beatlemania.

Wagner Barbosa (voz, violão e arranjos), Rafael Mota Rodrigues (percussão) e Kuba Palys (piano) passeiam entre temas autorais e releituras, com participações especiais de Toninho Ferragutti (sanfona na faixa título), Joanna Chmielecka (voz na faixa título), Jurandir Santana (guitarras em Água de beber), Jorge Helder (contrabaixo em Nothing new), do grupo polonês de percussão Ritmodelia (em Pata de elefante) e Lu Amaral e Adonias Jr. (vozes em Vento bravo). Kuba Palys canta o Blackbird dos Beatles.

A palavra polonesa Szczęście, que significa felicidade, também aparece na capa, e é uma grata surpresa ouvir o modo como toca o trio, entre seis músicas de autoria de Wagner Barbosa (duas em parceria) e regravações de Blackbird (Lennon/ McCartney), Água de beber (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) e Vento bravo (Edu Lobo/ Paulo César Pinheiro). Alegria, felicidade e outros sentimentos aparecem. Algo que a boa música ainda é capaz de proporcionar.

[Esta reseninha saiu nO Estado do Maranhão, caderno Alternativo (link para assinantes com senha), no último dia 4 de dezembro. Aqui faço duas correções: não sei como este blogueiro errou os sobrenomes do percussionista do grupo e do contrabaixista convidado]