IpanAmy

Mais um achado a que cheguei graças à leitura de resenha do Tárik de Sousa na CartaCapital, ele um dos heróis deste blogue que, feito quem parou no tempo, ainda acredita em (alguns) críticos de música (outros achados “tarikianos” foram o novo da Céu e Língua Brasileira, de André Parisi). Não, não se trata simplesmente de mais uma versão, de mais uma gravação da desde sempre tão regravada Garota de Ipanema, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes: trata-se da gravação de Amy Winehouse para The Girl From Ipanema, a versão de Norman Gimbel para o clássico bossanovista.

Confesso que antes de ler o Tárik pensei que Lioness: Hidden Treasures (2011) era mais um destes caça-níqueis da “necrofilia da arte” (Pato Fu), a indústria sempre querendo faturar mesmo antes de o defunto esfriar. Isso aí é coisa fina!