Karla Castro lança hoje “Todo o meu sentimento através dos teus olhos”

Livro marca estreia da autora na poesia; noite de autógrafos acontece às 19h, no Reviver Hostel

Todo o meu sentimento através dos teus olhos. Capa. Reprodução

Conheci Karla Castro nas mesas dispostas na calçada da Feira da Tralha, saudoso sebo-bar do casal de amigos comuns Riba e Marly, paisagem afetiva e, infelizmente hoje saudosa (no formato bar presencial; o sebo continua atendendo pelo instagram), em geral escolhida para passar a régua no dia; em algumas noites, este repórter transmutava-se num arremedo de dj e, entre um gole e outro, a amizade se estabeleceu.

Se opto por iniciar este texto com declaração tão pessoal, é apenas para revelar minha surpresa ao descobrir outra faceta da fisioterapeuta cearense e professora universitária radicada no Maranhão há mais de 21 anos: a da poesia, ouro que ela entrega a quem interessar possa, com talento e honestidade em seu livro de estreia, “Todo o meu sentimento através dos teus olhos”, ilustrado por fotografias de Sílvia Estrela, que ela lança hoje (19), às 19h, no Reviver Hostel (Rua de Nazaré, 200, Centro).

Se antes Karla Castro escrevia – publicava, melhor dizendo – apenas artigos acadêmicos em sua área, ela adentra o terreno, ao mesmo tempo sagrado e profano da poesia, sem receios. Sua poesia tem um tom confessional e é marcada por referências: os acúmulos que nos tornam aquilo que somos. Música, fé, o feminino, a boemia, o onírico, lendas e contos de fadas, a própria poesia. Nada é jogo de cena.

No fim das contas, é um livro sobre o amor: o amor realizado, de um casal; o amor platônico; o amor pela poesia em si, traduzidos em títulos como “O engenho das sensações”, “Paixão”, “Até fazer morada”, “A rima, o amor e a poesia” ou “Autorretrato”.

Em “Letras absíntias”, desnuda-se por inteiro: “Porque a profundidade do mergulho,/ para onde suas letras absíntias me arrastam,/ desemboca em cálidos oceanos de lírios de sal/ que me desnudam despudoradamente/ e me fazem mergulhar descabida,/ e, mais profundamente ainda,/ tocando, com os meus pés vorazes,/ lugares do imaginário que,/ nem em sonho,/ tua escrita mais ousada arriscaria penetrar…”.

Desde o título – e da bela fotografia escolhida para capa, em que vimos, numa janela de um casarão em ruínas, um par de bonecos de pano – Karla Castro estabelece uma relação de troca e cumplicidade com o leitor, como se este fosse seu espelho e vice-versa.

Na noite de autógrafos haverá apresentações do Quarteto Ponto de Fuga e da dj Vanessa Serra, além de vários amigos lendo poemas do livro.

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: