As idas e vindas deste blogue

Blogo há oito anos e meio, o que faz de mim um dos mais antigos blogueiros em atividade ininterrupta no Maranhão. De abril de 2004 para cá, praticamente não parei. Outros blogueiros que ou me influenciaram ou foram por mim influenciados, modéstia à parte, ou ambas as coisas, deram paradas, foram fazer coisas mais importantes. Uns voltaram a blogar, outros não. Poderia citar rapidamente nomes como Bruno Barata, Carolina Libério, Gisele Brasil, Jane Maciel, José Patrício Neto, Márcio Jerry, Reuben da Cunha Rocha e Rogério Tomaz Jr., entre outros, correndo o óbvio risco de esquecer o de alguém.

São mais de oito anos sem ganhar um centavo, blogando pelo prazer de blogar e vez em quando ganhar algum estresse, alguma dor nos braços (a tendinite que combato com dorflex e teimosia) etc. Algumas passagens por jornais, na condição de colunista ou eventual colaborador, quase sempre sem ganhar um centavo, alguns até hoje me devendo (destes prefiro nem citar nomes), outros sequer falam comigo e quer saber? Não faço questão!

Uma vez ganhei dinheiro com meu blogue. Um dinheiro pífio, ridículo, quase nada. Um site de vendas me solicitou a inclusão de um link e me pagaria cem reais por ano. O link pago ficou no ar exatamente por um ano e eu faturei estes menos de dez reais por mês. Não tive trabalho nenhum além de linkar o endereço que me foi passado (hoje nem lembro qual) e deixá-lo ali por um ano (o dinheiro saiu logo que pendurei o link), isto é, nunca influíram no que publiquei ou deixei de publicar, um dinheiro, portanto, honesto.

Faço tudo no blogue: escrevo, edito, reviso, mexo no layout (com as limitações que me impõe a plataforma que utilizo). Não há equipe. É o bloco do eu sozinho mesmo. Por isso às vezes critico tanto certos blogueiros que sequer aprenderam a escrever, que ganham tubos de dinheiro para publicar apenas o que os patrocinadores determinam.

Mas não quero ser ranzinza. Deixa isso para a hora de criticá-los, uns certamente acusando-me de “invejoso”, outros de “otário” e eu pouco me importando com isso, nem uma coisa nem outra. Se quero ganhar dinheiro com o blogue? Gostaria, mas desde que quem me pagasse, pessoa física ou jurídica, não interferisse em meu ritmo (publicar quando quiser), conteúdo (o que quiser) e estilo (como quiser), ou seja: para este blogueiro aqui é quase impossível ganhar dinheiro, numa terra/blogosfera em que dinheiro e honestidade são, infelizmente, quase antagônicos.

Uns já devem estar se perguntando o que tem a ver tudo isso que digo com o título deste post. Quem andou por aqui desde o post Blogue em manutenção, aí por baixo, viu-o de cara diferente. Era minha ideia para colocar o anúncio de uma rede de livrarias, uma forma simples, prática e honesta de ganhar algum dinheiro com o blogue: o leitor acessa o site da rede através de um banner pendurado neste blogue e a cada compra finalizada eu receberia 5% do valor vendido. Não hesitei em comprar um modelo pago, pensando que ia poder incluir o banner; comprado o layout, descobri que teria que comprar mais umas ferramentas. Já tinha gasto mais de cem reais no tal layout e as ferramentas me custariam mais coisa de 99 dólares ao ano.

O conteúdo do citado post, em que eu afirmava estar “pensando (sempre) em melhor atender seus poucos mas fieis leitores” é verdadeiro. Por isso resolvi amargar o prejuízo decorrente da aquisição de um novo layout, inútil para minhas pretensões, e desistir de ganhar dinheiro com blogue. A não ser que você tenha alguma proposta interessante – e honesta, nunca é demais repetir – para me fazer.

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (com Gisa Franco, aos sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM). Coautor de "Chorografia do Maranhão" (Pitomba!, 2018) e autor de "Penúltima página: Cultura no Vias de Fato" (Passagens, 2020). Antifascista.

8 comentários em “As idas e vindas deste blogue”

  1. Você, Zema, sempre com atualidades interessantes, além de um bom conhecimento do vernáculo que nos é de grande utilidade. Se, além disso, ainda ganhar dinheiro será sucesso total.

  2. á pensei em ganhar dinheiro com meus blogues também, mas foi só por alguns segundos. Na verdade, quando comecei com o primeiro, lá em 2006, eu só queria um diário — coisa de romântica. Daí continuei escrevendo sobre a vida, a vida de novo e de vez em quando resenhava um livro, falava de um filme. O perfil dos meus blogues é mais a ‘experimentação’…adoro escrever e também gosto de publicar o que quiser e quando eu quiser. Ah, e mudar também. Mudo de blogue como troco de roupa. Já foram uns cinco de 2006 pra cá. Fico bastante tempo com eles. Por falar nisso, estou num endereço novo: http://musadogodard.blogspot.com.br/
    Hoje em dia, como gosto bastante de fotografar, fazer colagem, tenho procurado brincar com isso por lá. Um patrocinador não nos daria tanta liberdade assim…enfim, Zema — homem de vícios e blogue antigos –, não tenho uma proposta pra você, mas vim dizer que gosto muito de aparecer por aqui.

  3. Exercite o desapego.
    Duas galinhas. . .

    Pura realidade. . .
    Conversa entre petistas.
    – “Se você tivesse dois apartamentos de luxo, doaria um para o partido?”
    – “Sim” – respondeu o militante.
    – “E se você tivesse dois carros de luxo, doaria um para o partido?”
    – “Sim” – novamente respondeu o valoroso militante.
    – “E se tivesse um milhão na conta bancária, doaria 500 mil para o partido?”
    – “É claro que doaria” – respondeu o orgulhoso companheiro.
    – “E se você tivesse duas galinhas, doaria uma para o partido?”
    – “Não” – respondeu o camarada.
    – “Mas porque você doaria um apartamento de luxo se tivesse dois, um carro de luxo se tivesse dois e 500 mil se tivesse um milhão, mas não doaria uma galinha se tivesse duas?”

    – “Porque as galinhas eu tenho.”

    Como disse o Presidente francês Jacques Chirac:
    -“Para o Presidente Lula, o que é dele é dele, e o que é dos outros pode ser dividido.”

  4. gracias, pedro! há uns dias você deu duas valiosíssimas contribuições, devidamente creditadas. como nada ganho, repito, nada posso pagar, mas o crédito de autoria e/ou colaboração é dado, ao menos isso, risos. abração!

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s