GPS etilírico-gastronômico

Da ilha distante, cá na parte de cima do mapa, já achava-lhe o mascote simpático. Aquele freizinho com cara de sonso, caneca cheia de chopp na mão. Qual num filme, imaginava-lhe a caneca jogada por um garçom por sobre um balcão lisinho, até chegar-lhe às mãos, o frei soprar a espuma e dar um longo gole como a querer matar todas as sedes que já passou.

Mês passado desci o mapa e cheguei à Imperatriz. Fui conhecer o Boteco do Frei, que fica nas imediações da Beira Rio, o point mais famoso da capital do Maranhão do sul.

Falava da Avenida Beira Rio, mas quem entendeu que era do Boteco, o faz certo, que o point agora é ali.


Vista parcial e escura da fachada do Boteco do Frei. Foto: Lena Machado

Dei sorte: o prato musical do dia eram a voz e o violão de Lena Garcia e o violino de Jr. Schubert, amigos que há tempos não via. Música popular brasileira com tempero pop. De Cazuza a Erasmo Dibell, de Milton Nascimento a Renato Russo.

Cerveja gelada, a companhia dos amigos de trabalho, que essa rota gastronômica ainda não se paga e eu preciso aproveitar as horas do ócio para lhes recomendar roteiros (a ideia é que este GPS etilírico-gastronômico seja atualizado de vez em quando, com minhas passagens por botecos diversos, aqui e acolá; aqui uma espécie de texto-teste de estreia. O que os poucos-mas-fieis leitores acham da ideia?).


Cardápio musical da noite: Lena Garcia e Jr. Schubert e sua MPopB . Foto do blogueiro

A presença do amigo Marcos Franco, um dos sócios proprietários, dando suas bebericadinhas em serviço. Contou das ideias, dos sonhos, dos projetos, papo rápido – ele que eu também já não via há um tempinho. Das vontades, inclusive, de levar bons nomes da Ilha até aquela confraria de boa música recém-instalada.


Marcos Franco entusiasma-se com as boas possibilidades do Boteco do Frei. Foto do blogueiro

É bastante comum hoje em dia conhecermos pessoas antes pela via virtual e depois pessoalmente. Agora acontece também com botecos. Já conhecia o Boteco do Frei de seu site, sempre atualizado, a vantagem de ser um dos sócios, jornalista – o já citado Marcos Franco. Boteco que também pode ser seguido pelo tuiter e facebook.

A decoração, um charme, citando em imagens ou frases Drummond, Raul Seixas, a Mafalda do Quino, a Graúna do Henfil, Guevara, Jackson do Pandeiro, Jim Morrison, Roberto Carlos, Chico Buarque, Janis Joplin, cartazes de filmes como A marvada carne, Carandiru, O Mephisto, Cidade de Deus e Madame Satã. E a frase certeira de Belchior: “sempre desobedecer/ nunca reverenciar”.

Se isso é dar uma lufada de novidade ao em geral monótono cenário da noite imperatrizense, longa vida ao Boteco do Frei!

2 comentários em “GPS etilírico-gastronômico

  1. Imperatriz precisava de um lugar como o Boteco do Frei, alternativo, underground, descolado e com cerveja gelada de um ótimo preço claro.! =]
    Frequento muito o Boteco e aprecio todo o cardápio musical, do samba ao rock, da mpb ao reggae, éh um local que não precisamos pedir musicas pro artista, é só esperar que com certeza ela irá tocar.
    Abraço à todos, e nos topamos no boteco ;)

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s