Arquivo mensal: dezembro 2008

DE GRAÇA!

HOJE, AMANHÃ E DEPOIS


[Autor de diversos clássicos da música brasileira, João do Vale empresta seu nome a Festival. Fonte]

Há gente que não conheço, mas há uma pá de gente talentosa concorrendo aos prêmios do III Festival João do Vale de Música Popular, louvável iniciativa do músico Wilson Zara, que por motivo de força maior havia interrompido sua realização.

Hoje e amanhã, no Circo Cultural da Cidade (Aterro do Bacanga, ao lado do Terminal de Integração da Praia Grande), a partir das 21h, acontecem as eliminatórias, cada uma com doze concorrentes. No sábado, no mesmo bat-horário e bat-local acontece a grande final. Tudo de graça!

O Festival foi selecionado via edital pela Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão e distribuirá R$ 7.500,00 em prêmios. A organização do evento espera não mais interrompê-lo e já realizar a quarta edição em 2009. Esta, teve 175 inscritos.

Junte uma turma e vá torcer por sua canção e/ou artista predileto. Veja a lista completa de selecionados aqui.

SAC, QUE SACO!

Mudei de casa. Os expedientes não dão conta da porrada de coisas para fazer. E falo aqui só de trabalho, profissional, entenda-se. Em resumo: para dar conta de tudo (ou quase tudo), careço urgentemente de internet rápida em casa.

Bom, fiz algumas tentativas: a TVN não atende o bairro onde moro; a Jet está em manutenção e, por enquanto, poderia instalar apenas a TV. Agradeci, mas preciso mesmo é de internet; TV por assinatura posso até ver depois. As operadoras de telefonia celular, com seus modens portáteis – ou outro nome que se dê – também não me agradaram: o serviço é caro “apenas” por internet (os planos das TVs teriam as TVs “de brinde”, entendem?), e usuários me dão conta que a internet não é tão rápida assim.

Bom, o fato é que acabamos por optar pela Oi, que ofereceu um plano telefônico a R$ 25,90 mensais, taxa de assinatura por 100 minutos de ligações locais e condição para a posterior solicitação do serviço de internet (Velox).

O mocinho que atendeu nosso telefonema deu-nos o prazo de três a sete dias para a instalação da linha telefônica. Dias depois – desisti de contar, mas foram mais de sete, com certeza – fomos informados de que “a linha de R$ 25,90 estava com problemas e só poderiam instalar a de R$ 46,90”. Pedi que minha esposa informasse que não estávamos interessados. Enquanto ela ainda reclamava com o atendente, o mocinho – certamente outro, já não mais o com que comecei o parágrafo – desligou o telefone sem concluir o atendimento. Simples assim.

Pensei em, com o número do protocolo do primeiro atendimento, ir ao Procon ou mover uma ação contra a companhia. Protocolo perdido, não poderei fazer isso, mas fica aqui o registro de como a Oi/Velox trata seus clientes. Ou melhor: de como destrata seus (ex-quase-)futuros clientes.

*

Casei semana passada. Por isso o sumiço. Talvez eu conte um pouco aqui, depois. Talvez.

Bom, por enquanto, queria continuar o “momento procon” do blogue. É o seguinte: havíamos programado uma apresentação de slides com vários momentos da época de namoro e de nossas infâncias e adolescências para exibir enquanto Gildomar Marinho e o Choro Pungado tocavam na recepção. Beleza. Busquei um serviço via Google, digitando “aluguel data show são luís” no campo de busca. Cheguei a este link. Por conta da “tradição”, liguei para a Equipar, que me deu seu preço, mas não tinha nenhum equipamento disponível para o dia.

Liguei então para a Flash Vídeo Produções, com quem acertei “um data-show com tela para as 16h, no Circo Cultural da Cidade”. Não paguei adiantado, mas se dependesse dos serviços dessa “empresa” eu não teria conseguido um data show: a Flash Vídeo Produções simplesmente não foi levar o aparelho e ninguém atendia ao (98) 3239-0715, número que peguei naquele link e em que eu havia reservado o equipamento.

*

Na correria, minha coluna de domingo no Tribuna do Nordeste apenas repetiu este texto aqui. Na véspera do feriado voltaremos com material inédito.

SEXTA


[divulgação. Fonte: myspace do compositor]

Pra quem perdeu sábado (ou: pra quem quiser ver de novo. Foi lindo!): nesta sexta (5), o compositor Josias Sobrinho apresenta-se no Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande), acompanhado do Regional Um a Zero (João Neto: flauta; Roquinho: cavaquinho; Leozinho: pandeiro; e Henrique Jr.: violão) e participação especialíssima da cantora Lenita Pinheiro, esposa do compositor.

A apresentação começa às 22h. A produção não informou o preço do ingresso.

VOLTANDO AOS POUCOS

Tunai, quinta-feira (4), às 22h, no Espaço Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande). Ingressos: R$ 20,00, à venda no local.

Tunai, pra quem não sabe, é compositor, entre outras, de Frisson, em parceria com meu amigo Sérgio Natureza.

Frisson, pra quem não sabe, é aquela música já gravada por Elba Ramalho, entre outra(o)s, que começa assim: “você caiu do céu/ um anjo lindo que apareceu/ com olhos de cristal/ me enfeitiçou/ eu nunca vi nada igual”.