MOINHO DE ROSAS, PÉTALAS, PÉROLAS, CANÇÕES

Datas redondas, naturalmente, evocam celebrações das mais diversas. 2008 é repleto delas, uma, o centenário de nascimento de Cartola (1908-1980), dos mais geniais compositores brasileiros em todos os tempos.

Tributos ao bamba de Mangueira certamente pipocarão aos montes, ao longo do ano. Corrijo-me: tributos ao bamba mangueirense têm pipocado aos montes. Já ouvi falar de alguns, por vezes meros caça-níqueis.

Por fora da onda, da “moda”, merece especial atenção, pela qualidade no trato das canções de Angenor [Lua Music, 2008] – nome de batismo de Cartola que acabou por batizar o projeto –, de Cida Moreira.


[Capa. Reprodução. Clique sobre para comprar o disco]

O repertório não fugiu dos clássicos – estão lá Alvorada, Cordas de aço, O mundo é um moinho, Sim – mas trouxe canções menos óbvias do repertório do homenageado: A canção que chegou, Evite meu amor e Feriado na roça, entre outras.

A bela voz de Cida Moreira tem o acompanhamento dos violões de Camilo Carrara (cavaquinho em Acontece e Sala de recepção) e Omar Campos (baixo elétrico em Sim, viola caipira em Feriado na roça), da percussão de Adriano Busko e do contrabaixo de Renato Loyola, com participações especiais ali e acolá: Julia Porto (voz em Alvorada), Chiquinho de Almeida (clarinete em A canção que chegou e Acontece), Oswaldinho (acordeon em Feriado na roça), Marcelo Fonseca (voz em O silêncio de um cipestre) e Toninho Carrasqueira (flauta em O inverno do meu tempo), entre outras.

Cantora experiente – seu primeiro disco é de 1981 –, já com outros tributos na bagagem (Brecht em 1988 e Chico Buarque em 1993, além de Na trilha do cinema, de 1997), Cida Moreira está à vontade nas canções de Cartola, que, no caso, não ganham tão somente uma nova gravação, embora a cantora se poupe (e aos ouvintes) de quaisquer exageros.

Simples e eficiente, plástica e musicalmente. Belo, enfim. Singelo como a própria obra de Cartola. Angenor, o disco de Cida Moreira é, sem dúvidas, um tributo à altura da genialidade desse grande mestre de nossa música popular.

4 comentários em “MOINHO DE ROSAS, PÉTALAS, PÉROLAS, CANÇÕES

  1. cartola sempre cai bem! como diz mart’inália, o samba está no incosciente brasileiro.mudando de pau pra cavaco, sexta assisti ao show de zeca baleiro. fantásticooooo!

  2. Eu tenho o cd, mas vergonhosamente não tive o menor tempo pra ouvir rsrs. Devia ter colocado quando estivesse no banho, coisa assim.Enfim, vou me redimir agora

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s