admirável pop-rock novo

apresento-lhes hoje, reproduzindo texto publicado na primeira classe, jp turismo, jornal pequeno, a banda, o disco que não tem saído do meu cd player: lasciva lula, sublime mundo crânio. lembro que há pouco mais de uma semana (ou duas?), assistindo ao atitude.com, uma tarde, na tve, comentei, entusiasmado: “nossa, eles tocam pra se divertir, e isso é que é legal”. querem uns exemplos de seu pop-poesia? tomem:


pra matar a fome
(felipe schuery)

fandangos mole com coca sem gás
e você ao meu lado zombando de mim
pra matar a fome eu como o que tiver
pra te amar escolho tintim por tintim
um brinde, só pra começar
carinhos, só pra relaxar
um beijo então…

lá vai (1, 2, 3…), vai
lá vai (e tem mais)
lá vai (mais um outro)
lá vai (vou dormir)

acordei, levanto com sono
pão francês desce junto ao café
pra você, deixo a mesa posta
laranjada, tufu, croissant
e um bilhete dizendo que amo
que quero casar assim que voltar do trabalho à noite
trazendo buquê e um bocado de nomes
pra dar pro bebê

lá vai (1, 2, 3…) vai
lá vai (vão crescer)
lá vai (venham netos)
lá vai (vou feliz)

celofane
(felipe schuery)

embrulhei com papel celofane
fiz um laço, pus cartão
“remetente: anônimo”
na calçada
escrevi com pincel e tinta branca no asfalto
“ass.: eu”
por um mês paguei um outdoor
coloquei anúncio em jornal
hesitei: e se ela descobrir?
minto, fujo, finjo que morri

no cardápio, o mais barato é fantasia
no brinde eu me viro só
é festa no sublime mundo crânio

rabisquei o tapume da obra de uma entrada do metrô
com haicais de amor
consultei tarô e mãe-de-santo
freqüentei curso de don juan
hesitei: e se ela descobrir?
minto, fujo, finjo que morri

acima, duas músicas bem bonitinhas, apaixonadas, um jeito novo de dizer “eu te amo!”. você já disse eu te amo pra alguém hoje?

bom, abaixo a resenha; mais um texto onde não consigo dizer tudo o que o disco é. e é bem mais que isso.

Miolo (de) pop

Beleza e diversão garantidas em “Sublime Mundo Crânio”, inspirada estréia em disco dos cariocas da Lasciva Lula.

por Zema Ribeiro*

Saudei com entusiasmo o aparecimento da Lasciva Lula ao ver a banda no Atitude.com, programa vespertino da TVE Brasil, há coisa de poucos dias – não mais que duas semanas. Surpreendeu-me o “tocar por diversão” que os “meninos” cariocas deixavam transparecer. Sucesso – seja lá o que isso for – será/é (mera) conseqüência.

Sublime Mundo Crânio[Independente, 2007, R$ 10,00; preço promocional de lançamento no site da banda: http://www.lascivalula.com.br], a estréia, é álbum, como diz o título, embora não seja esta a intenção, sublime. Pop rock sem frescuras, sem exageros: um disco literalmente redondo.

Felipe Schuery (voz e guitarra), guga_bruno (guitarra e voz), Jamil Li Causi (baixo e voz) e Marcello Cals (percussão e voz) fazem-se interessantes ao misturar boas músicas e(m) letras originais, sem esquecer a diversão: carnaval sem samba nem tristeza, para durar o ano inteiro. 12 faixas, coincidência?

Comparações a bandas como Repolho, Mombojó e Los Hermanos – apenas para citar contemporâneas – talvez sejam inevitáveis; mas são, também, desnecessárias: Lasciva Lula tem personalidade própria para uma vida longa no mar predatório – e cheio de detritos (o que não é o caso de nenhuma das citadas) – da cena rock nacional. O título evoca o clássico maior de Aldous Huxley: “Sublime Mundo Crânio” é, sem dúvidas, admirável pop-rock novo.

*correspondente para o Maranhão do site Overmundo, escreve no blogue http://zemaribeiro.blogspot.com

4 comentários em “admirável pop-rock novo

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s