um agitado fim de semana

abaixo, em itálico, a “vencida” coluna do zema, no diário da manhã de ontem:

Ligeiras dominicais

Notas ligeiras para o leitor que não quer perder muito tempo neste domingo. Tanta coisa interessante lá fora, ficar aqui lendo jornal?

III Parada do Orgulho pela Diversidade Sexual de São Luís

Após o sucesso do III Seminário GLBT (apesar de algumas ausências injustificáveis), realizado dias 12 e 13 de julho, acontece hoje a III Parada do Orgulho pela Diversidade Sexual de São Luís, na Avenida Litorânea. A produção/promoção é do Grupo Gayvota. A concentração acontece às 14h, entre a Praça do Pescador e o São Luís Park Hotel. Entre diversas atrações, destaque para a cantora Vanessa da Mata. A Coluna do Zema se fará presente, torcendo pelo sucesso do acontecimento e esperando que ele seja muito mais que mera festa e/ou palanque político/eleitoral. A Parada é – e assim deve ser – bem mais que isso.

Cinema grátis no SESC

O SESC promove durante a semana, o Cine Arte SESC: com entrada franca, dez sessões de cinema (duas por dia) de segunda a sexta. Ao meio-dia e às 18h, no auditório do SESC Deodoro. Na programação, destaques para os brasileiros “Nina”, com Mateus Nachtergale e Selton Melo, que será exibido terça-feira 18, e “Se eu fosse você”, com Toni Ramos, Glória Pires, Glória Menezes e Thiago Lacerda, na quinta-feira 20.

Mão no Gatilho!

Claro que essa coluna prega a paz. O subtítulo aí é só pra avisar: organizada por mestrandos em Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora/MG (UFJF), a Revista Gatilho está recebendo colaborações para o seu próximo número. Os textos, que passarão por uma seleção, devem ser inéditos e enviados até o próximo dia 28: artigos, resenhas e textos de criação artística (contos, crônicas e poemas). Maiores informações no site da revista:
http://www.gatilho.ufjf.br

Prêmio em São Luís

As inscrições para o XXX Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luís foram prorrogadas e podem ser feitas na sede da Fundação Municipal de Cultura (FUNC) até o próximo dia 31. Nas diversas categorias, os vencedores receberão dez salários mínimos cada, ficando o(s) segundo(s) lugar(es) com cinco salários mínimos. O regulamento pode, também, ser conferido na sede da fundação, na Rua Isaac Martins, em frente à Fonte do Ribeirão, esquina com a Rua do Ribeirão.

Prêmio em Recife

Também está com inscrições abertas (até o próximo dia 3 de agosto) o concurso “Prêmios Literários Cidade do Recife”, que premiará obras de ficção (novela, romance, contos), poesia, ensaio e peça teatral. O vencedor de cada categoria receberá R$ 3 mil. Maiores informações no site
http://www.recife.pe.gov.br

e uns comentários ligeiros, só aqui no blogue [antes um aviso: isso não é jornalismo!].


capital na capital

o capital inicial apresentou-se mais uma vez em são luís do maranhão [sábado, 15/7]. segundo “auditado” pela própria banda, seis mil pessoas lotaram o estacionamento do jaracati shopping. ingressos: r$ 25,00, apesar de alguns jornais terem dado um preço menor (r$ 20,00). ingresso caro e nós, com as vistas poluídas de tanta propaganda (o que, em tese, deveria garantir um ingresso mais barato). dinho ouro preto já não tem mais vinte e cinco anos, mas ainda não aprendeu isso. a pose de rebelde sem causa, dominou o garoto: “valeu, são luís! do caralho!”, repetiu, como a um mantra.

o repertório do show mesclou aborto elétrico / legião urbana, além de canções do capital inicial. o boneco gigante (aludindo a outra turnê da banda) e a boneca natasha (que batiza hit radiofônico/chiclete da mesma, no caso a banda) foram ridiculamente desnecessários (desnecessariamente ridículos?).

tudo bem que a cultura do atraso impere no maranhão, mas três horas e vinte minutos é um pouco demais, não? e nem uma banda local para abrir. 1h40min de show, incluindo o bis.

nem tudo são flores

uma ligação, sábado de manhã, me avisa: homossexual desaparecido é encontrado e levado ao socorrão i, vítima de violência. em estado de coma. só muito depois, descubro que o fato foi noticiado [tive acesso aos jornais pequeno e o estado do maranhão]. o que os jornais não dizem é que a “vítima” é homossexual. mas quando o “acusado” é um “travesti“, isso vem dito na manchete.

sobre a “vítima”, o estado do maranhão fica em evasivas do tipo “morava só, e sua casa era muito freqüentada por rapazes”. sobre os “acusados”, a notícia (na mesma página) abre assim: “os travestis geovane pereira rodrigues, o jack, e manoel fernandes cerqueira lopes, o samire, foram conduzidos ao plantão central etc”. o jornal pequeno também insinua, mas não afirma, que a “vítima” é homossexual.

não há motivos para comemorar. mas a 3ª parada do orgulho pela diversidade sexual de são luís do maranhão, doravante denominada “3ª parada gay” mostrou-se apenas mais um carnaval fora de época.

coloridos e barulhentos trios elétricos, faziam propaganda eleitoral. “garotos” “sensuais” seminus, em danças “sensuais” e gestos “mais sensuais” ainda, reforçavam estereótipos.

“abalou, alexandra tavares”, lia-se, nas costas da camisa “oficial” da parada. vestir a camisa da causa é, portanto, vestir a camisa de alexandra tavares?

“alexandra tavares, madrinha de nossos desejos e direitos”, lia-se, no trio onde vanessa da mata cantou, no encerramento do evento. os desejos e direitos dessa parcela da população lá precisam de madrinha?

[antes que me “acusem”: não, eu não sou sarneysta, e também não concordo com o “batizar bois” de roseana sarney. rápida “explicação”, já que no maranhão, quem não está de um lado, está de outro, politicamente, só não pode é ficar “em cima do muro”]

[aliás, o que mais se condena, acaba virando prática, não é?]

“marafolia e forró fest perderam feio”, ouço de uma transeunte. é, a parada gay acabou, repito, transformando-se em mero carnaval fora de época.

[manchete na capa do jornal pequeno de hoje: “jovens são esfaqueados em evento da ong gayvota na av. litorânea”. fosse o evento só flores e sucesso, a manchete não daria destaque aos organizadores.]

3 comentários em “um agitado fim de semana

  1. ainda sobre o show do capital inicial: dinho ouro preto, que já não tem mais dezoito anos (“como é difícil não ter 18 anos”, né, seu ednardo?) ainda comete o disparate de pregar o voto nulo. renato russo, o “homenageado” da noite, certamente teria vergonha…

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s