Só você!

Amor demais, poesia de menos. Nem minha melhor literatura chegará aos pés do que sinto por ti, já disse. Então vou me usando das penas alheias. Hoje vamos de Lenine e Carlos Rennó:

Todas Elas Juntas Num Só Ser

(trecho)

Não canto mais Bebete nem Domingas
Nem Xica nem Tereza, de Ben Jor,

Nem Drão nem Flora, do baiano Gil;
Não canto mais Luiza, do maior;

Já não homenageio Januária,

Joana, Ana, Bárbara, de Chico;

Nem Yoko, a nipônica de Lennon;
Nem a cabocla, de Tinoco e de Tonico;

Nem a tigresa nem a vera gata
Nem a branquinha, de Caetano;
Nem mesmo a linda flor de Luiz Gonzaga,
Rosinha, do sertão pernambucano;
Nem Risoflora, a flor de Chico Science –
Nenhuma continua nos meus planos.
Nem Kátia Flávia, de Fausto Fawcett;

Nem Anna Júlia, do Los Hermanos.

Só você,
Hoje eu canto só você;
Só você,
Que eu quero porque quero, por querer.

(…)

Só você,
Mais que tudo e todas, só você;
Só você,
Que é todas elas juntas num só ser.

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s