SOBRE IMAGEM LÍQUIDA

um poema de José Aloise Bahia

Lá estava, Jean Baudrillard, defronte duma

televisão que tanto desdenhava.

Na tela fria novos rumores das imagens

apontam um velho produto da publicidade.

Uma cópia do R. Mutt 1917 versão branco gelo.

Em sua pose de óculos e olhos estiolados

encontra aquela idéia que jamais pensasse

ocorrer. O R. Mutt em forma de vídeo.

Para fazer as necessidades e reflexões diárias

inventa um banheiro com uma novidade. Num

amplo espelho refletia o colossal vaso e o

cair das ruminações líquidas contaminadas

e em contato com a cor pulsante do

sanitário que agora se chama televisão.

José Aloise Bahia nasceu em Bambuí-MG e mora em BH. Poeta, colecionador de artes plásticas, pós-graduado em jornalismo contemporâneo. Autor de Pavios (no prelo pela Anomelivros).

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s